Uma senha sera enviada para seu e-mail

Se você está começando como freelancer em qualquer área de criação, já deve ter ouvido alguma dessas frases: “Faça alguns modelos, se eu gostar te pago”; “Faça que te indico para outros”; “Tá caro, meu sobrinho faz mais barato”; “Só não faço porque não tenho o programa”; “É coisa rápida, cinco minutinhos você faz”.

Por isso, para te ajudar nessa questão que muitas vezes nos  assombra , eu criei este artigo  para lhe ajudar a evitar que o cliente diga quanto vale seu trabalho. Leia-o até o fim que você não vai se arrepender. Então vamos lá!

Afinal, quanto cobrar pelo meu trabalho?!

Durante o tempo que venho atuando na área, observei que uma das maiores duvidas de um freelancer é quanto cobrar pelo seu trabalho. Estipular um valor é algo que assombra todo profissional que está começando sua carreira.

Quando comecei a trabalhar nesse ramo, há cerca de uns sete anos atrás, quebrei muito a cabeça e tomei muito prejuízo exatamente por não saber quanto cobrar pelo serviço.

Fucei na internet e conversei com colegas de profissão em busca de uma fórmula que mostrasse quanto cobrar. Logo percebi que essa fórmula não existe! O cálculo para determinar quanto vale um trabalho é um pouco mais complicado do que apenas um cálculo matemático, pois existem variáveis que devem ser levadas em conta.

Para poder calcular  o meu valor ideal, levei em conta alguns fatores que pude perceber que iriam influenciar na hora de passar o preço final para o cliente.

A seguir vou te passar um pouco sobre cada um, me baseando nas minhas experiências de acordo com cada situação.

Quanto você julga necessário para se manter com seu trabalho?

Esse deve ser o primeiro e o mais importante fator a ser levado em conta para definir seu preço, porque diferente do que os clientes acham, quem trabalha com criação também tem contas à pagar e elas não podem ser pagas com sorrisos e abraços, muito menos com indicações de outros clientes.

Esse valor não é algo fixo, ou um valor que posso ser aplicado a todos, ele pode variar de região para região, por exemplo. Dificilmente o valor necessário para uma pessoa conseguir se manter no Rio de Janeiro será o mesmo de quem mora no Maranhão, não concorda?

O estilo de vida que você quer manter também influência: uma pessoa que gosta de ir pra balada todo sábado não têm os mesmos gastos dos que preferem ficar em casa com um balde de pipoca assistindo Netflix.

Comece colocando na ponta do lápis os gastos fixos mensais, como por exemplo água, energia, internet, alimentação, aluguel, a conta da Netflix, a cervejinha de sábado, e por ai vai.

Vamos supor que essas despesas somem o total de R$500,00, portanto você terá que ter um faturamento mensal de pelo menos R$500,00 só pra pagar as contas. Mas ninguém quer trabalhar apenas para pagar contas, pois seria o mesmo que pagar pra trabalhar, então vamos dobrar esse valor! Portanto R$1000,00 seria o valor mínimo que você, nessas condições que citei acima, deveria q faturar por mês.

Qual o tempo gasto para realizar o projeto?

Essa pode ser um pouco difícil de ser respondida, principalmente por quem está começando agora, pois cada projeto é diferente do outro. Não adianta achar que porque você criou um logotipo em 2 horas todos os logotipos criados a partir daí terão a mesma duração. Apenas com o tempo que você vai adquirindo uma noção do tempo necessário pra realizar o projeto.

Por isso o Briefing é algo de extrema importância, pois se você tem todos os dados referentes ao projeto, fica mais fácil mensurar o tempo que será gasto, além de facilitar a criação e agilizar o processo.

Você também pode e deve pedir a ajuda e a opinião de outros profissionais mais experientes, além de te ajudarem a definir a média de tempo necessário, podem lhe auxiliar na organização das ideias, o que facilita muito no processo de criação.

Qual o preço da concorrência na sua região?

Para poder analisar os preços da concorrência você tem que analisar também a qualidade do serviço e o tempo de atuação, porque de nada adianta você que está começando agora e querer aplicar um preço igual a alguém que está com mais de 10 anos de mercado, já estruturado e com a confiança dos clientes. Por outro lado você  também não deve abaixar seu preço a ponto de se “prostituir” porque na sua cidade existem “sobrinhos” que criam “logomarcas” por dez reais, por exemplo.

Isso, na minha opinião, é umas das coisas mais importantes a se pensar antes de decidir se tornar um freelancer, pois dependendo dos preços e da qualidade de serviços da concorrência, existem três possibilidades.

Primeira: Você pode ter um preço e uma qualidade de serviço competitivo e manter uma concorrência de igual pra igual com os outros profissionais da sua região.

Segunda: Você pode conseguir manter um preço mais baixo, mantendo uma qualidade igual ou até superior na realização do serviço e assim acabar com seus concorrentes, ha ha ha (risada maléfica).

Terceira: A menos recomendável, o preço da concorrência é muito abaixo do preço que você espera ter de retorno e você é que acaba se dando mal.

Qual o valor pago pelo material usado para realizar o serviço?

Isso não vai ser usado sempre, pois nem sempre haverá gastos extras para produção do material, em um flyer digital, por exemplo, você não terá custo extra, porém na confecção de cartões de visita ou panfletos existe o valor da impressão e esse valor varia de gráfica pra gráfica.

Quando precisar acrescentar esses custos extras, o meu conselho é cobrar de trinta a cinquenta por cento a mais do valor gasto, por exemplo: se você vai ter um gasto de impressão em um cartão de visita de 50 reais você deve cobrar para o cliente entre 65 e 100 reais.

Essa porcentagem pode variar de cliente pra cliente, se o cliente já faz serviços a algum tempo e é um cliente que está sempre fazendo serviços com você, ou se for um grande quantidade e pedidos e que você terá um bom lucro, dá pra colocar um preço mais baixo.

Agora se for uma quantidade de pedidos baixa e o lucro não será tão satisfatório, ou se for um daqueles clientes chatos (kkkkkk), dá pra você cobrar um pouco mais.

Bom, espero que essas dicas possam ajudar você a definir o seu valor como freelancer. Pode parecer um pouco difícil no começo, mas aos poucos, com mais trabalhos e experiência, você se sentirá cada vez mais confortável para definir um preço de um projeto.

 Obrigado por ter tirado um  pouco do seu tempo pra ler até o final. 

Até a próxima !

%d blogueiros gostam disto: