Eaí galerinha, tudo bem com vocês?
Espero que sim.

De uns 3 anos para cá comecei a ver a ascensão do design gráfico. É design pra cá, é design pra lá, é design disso, é design daquilo. Design para todos os lados. Afinal, o que é design?

E nessa ascensão, claro que muitos mininus e mininas que estão embarcando ou pretendem embarcar nesse foguete chamado design, tem lá suas dúvidas de onde e como começar, assim como todos nós veteranos já tivemos. Se você é esse mininu ou minina, aqui vai uma ajudinha.

Aliás, nossa estrela da noite é especificamente o design gráfico, porém muitos conceitos que veremos aqui também se aplicam à outras áreas do design. E talvez se olharmos bem, será que está inserido em tudo na vida? Deixo vocês com esse questionamento.

ps.: Tudo falado aqui é baseado na minha perspectiva pessoal sobre tudo que vi e vivi em meio ao design e a sociedade que o consome. Não há verdade absoluta, há apenas dúvidas das quais cada um responde de uma maneira diferente, assim como 2×2 ou 2+2 = 4.

Afinal, por onde começar?

História do Design

Mas é claro que devemos começar do início, por onde mais você achou que seria? Primeiro de tudo é preciso conhecer o passado para compreender o presente e poder projetar o futuro. Você provavelmente não irá tão longe sem saber quem foi Otl Aicher, Adrian Frutiger , Alexandre Wollner, a Bauhaus, o movimento de Stijl e tudo aquilo que precede e referencia muito do que nos rodeia hoje. Você sabe diferenciar arte de design?
Segundo Bruno Munari em seu livro “Das Coisas Nascem Coisas”.

“O que modificou o artista em seu modo de projetar para que ele se tivesse transformado em designer? E o que é que haverá de artístico no design?”

“Durante muito tempo, essa distinção não existiu. Giotto pintava e era arquiteto, Leonardo Da Vinci pintava e inventava máquinas. A pintura, a arquitetura, a invenção, a poesia eram atividades diversas, mas ligadas por um único método objetivo de projetar.”

Ao conhecer toda a história dessa profissão você se encontra e começa a compreender um pouco mais o que é design e o que é arte, desenvolve seu estilo próprio e seus métodos para projetar.

Algumas coisinhas para ajudar vocês a encontrar o caminho para o seu designer interior 😉

Das Coisas Nascem Coisas
“Bruno Munari”


Design Gráfico – Uma História Concisa
“Richard Hollis”


Tudo Sobre Arte – Os Movimentos E As Obras Mais Importantes De Todos Os Tempos
“Stephen Farthing e Richard Cork”

 

Formação do Design Moderno no Brasil
“Alexandre Wollner”

 

Como o Design é Necessário
“Cláudio Portugal “

 

O que é Design?
“David Arty”


Conheci a história e agora?

Sei quem sou, agora nenhum sobrinho vai me deter!

Muita calma nessa hora pequeno gafanhoto. Se você viu alguma das referências acima, deve ter notado que ainda precisa conhecer e conviver com os fundamentos daquele segmento que será o seu destino.

Sabemos que existem inúmeras possibilidades para se trabalhar com o tão sonhado pacote adobe e o nem tão desejado assim, o Corel Draw. Mas de que adianta “mexer” nas ferramentas e não saber seus limites e aplicações. Como você vai fazer um banner impresso sem saber os limites da Plotter de impressão ou do processo de impressão Off-Set e ou até mesmo da serigrafia? Como vai criar um design que funciona se não sabe qual o formato do papel, a cor, a tipografia e se a mensagem que está sendo comunicada é entendida da mesma forma por todos aqueles que a recebem?

“Poxa Andrews agora que eu estava “encontrado”, vem você e me desencontra de novo.”

Pois é pequeno gafanhoto, você aprendeu de onde você veio, agora para onde você vai existe um novo caminho a ser trilhado, e um novo tipo de conhecimento para ser absorvido.

Seria legal se vocês seguissem a ordem de leitura dos livros abaixo:


Fundamentos do Design Criativo

Este livro é uma introdução abrangente aos princípios do design criativo. Passando por Formato, Layouts e Grids, Tipografia, Imagem, Cor e Acabamento de impressão.


Novo Manual de Produção Gráfica

Aborda desde a impressão e seu início, Editoração, Pré-impressão até todo o processo e normas gráficas. Mas se você puder trabalhar ou estagiar em uma boa gráfica digital ou off-set, terá uma boa noção de como produzir seu design, de forma que ele seja fiel na hora da impressão e produção.


Manual dos Tipos

O que seria de uma mensagem se ninguém consegue ler ou entender? Esse manual da tipografia vai do conceito básico até a formatação de grandes textos, estrutura de um tipo e a construção dos grids. Completíssimo para gafanhotos iniciantes e intermediários.


Essentials of Visual Communication

Agora que as aulas de inglês da escola irão valer a pena. Esse livro é totalmente in English, é o Bê-a-ba da comunicação visual. Serve de guia e te dá noções sobre “Visão” propriamente dita.

Mas e o Adobe, o Corel, etc e tal?

A prática leva à perfeição!

Assim como tudo na vida, praticar é necessário. Como disse lá em cima, de que adianta saber “mexer” nos softwares se não sabe o que e como fazer com eles?

O bom da internet hoje em dia é que você tem acesso à muitos cursos e tutoriais por aí que te passam alguns macetes das ferramentas. Aprender inglês é de extrema necessidade, pratique também, muita coisa boa está em inglês. A conclusão é que Photoshop, Illustrator, Corel Draw e etc; na profissão Designer Gráfico, é apenas a ponta do iceberg na hora de criar qualquer projeto gráfico.

ps.: Logo iremos disponibilizar alguns cursos de design gráfico aqui no Blog, fiquem de olho por aí.

Mais conteúdo para você!

O David Arty, colunista aqui do blog, criou um vídeo sobre como começar na área. No vídeo ele fala sobre faculdade, livros que você pode adquirir, quais tipos de cursos, entre várias informações uteis. Sugiro que assista ao vídeo abaixo para ajudar a sanar ainda mais as suas dúvidas.

Faixa Bônus

Sem conhecimento não há poder!

Freud/Shao Kahn

  • Refletir é bom para o convívio, algumas das filosofias que devemos praticar.
  • Nenhuma ideia ou tendência sobre Design é absoluta e inquestionável;
  • Nenhuma tendência é necessariamente legal só porque alguém disse que é;
  • Não deixe a vaidade interferir no seu design. Não deixe preconceitos e dogmas interferir na sua criatividade;
  • Se o seu layout for reprovado, não fique se lamentando e parta para outra ideia;
  • Os Designers mais experientes e os iniciantes também são humanos e estão sujeitos a errar, evolua;
  • Não aceite todo tipo de trabalho, evite trabalhos maiores que você não conseguirá manter sua qualidade;
  • Não se iluda, reconheça suas limitações para que possa melhorá-las;
  • Não critique nem odeie o trabalho do próximo, sobrinho ou não é mais fácil destruir do que construir, destruir qualquer um consegue, mas criar é para poucos

Como já dizia Pink Floyd “Together we stand, divided we fall”.

%d blogueiros gostam disto: